lp_website_6-pg_slideshow_1900_11001_1900x1100_acf_cropped

Edifício Baía

Largo do Ambiente, Luanda, Angola 2012

O desenho do espaço exterior parte da métrica encontrada no desenho do edifício e procura fazer a ligação entre o edifício e o tecido urbano adjacente, delimitando uma faixa de passeio pedonal e balizando o estacionamento indevido dentro do espaço e na proximidade do edifício. Assim, propõe-se um desenho de linhas paralelas que partem do espaçamento entre os caixilhos do alçado do edifício e se prolongam pelo solo. Assumiram-se duas larguras de trabalho: a principal, correspondente à largura das escadas e rampa de acesso à entrada do edifício; como larguras secundárias do desenho a largura dos caixilhos das janelas das lojas adjacentes.

O desafio maior deste projecto foi a coordenação e ligação das cotas do arruamento e passeio existentes com as cotas de soleira e de chegada das escadas de acesso ao hall principal do edifício, sem gerar um terreno com uma configuração empenada, de circulação pouco confortável. A solução encontrada passou pela construção de degraus rampeados para solucionar entre a soleira da loja e o patamar de arranque das escadas de acesso ao edifício que se iniciam com 20cm de altura e vão reduzindo a sua altura em direcção ao passeio até anularem o espelho do degrau, transversalmente ao sentido dos degraus a circulação faz-se de um modo mais suave, atravessando as “barreiras” constituídas pelos bancos e caldeiras. Na zona de passeio propõe-se manter uma pavimentação em continuidade com o resto dos passeios da cidade, em blocos pré-fabricados de betão.

Edifícios de Escritórios e Habitação
Área: 864 m2
Equipa: Nuno Mota, Margarida Quelhas, Cristina Leal, Carmen Silva, Liliana Fernandes
Arquitectura: GJP arquitectos
Cliente: Transoceânica, s.a.